29 janeiro 2007

Os vizinhos, o amor, os penteados e as cartas roubadas

Tou ca neura...
A razao, uma praga difícil de nos livrarmos: os vizinhos.

Vizinha de cima: em plena fase de acasalamento com o seu namorado, a minha vizinha faz questao de lembrar todos os inquilinos desse facto, com um especial pico de actividade por volta das 4 da manha e com uma frequencia dia sim, dia nao. O rapaz geme, é controlado. Ela, histérica. A casa, é velha e o quarto dela por cima do meu. Junte-se isso tudo e tem-se um gazpar com insónias. Já pensei ir bater à porta perguntar se precisava que eu chama-se o médico por aparentemente ter ataques de asma constantes. "Se calhar precisa de ajuda, coitadita". Talvez siga o conselho do Inixion para bater à porta nesses momentos madrugadores e perguntar: "Tem açúcar que me empreste?".

Vizinho do lado: já à algum dia foram ao Trumps e viram bichas versao "tio de Cascais" com um cabelo que faz lembrar a Mafalda do Quino (na sua versao Isabel Queirós do Vale...)? Eu chamo-as de "Mafaldas". Pois... tenho "uma" como vizinha. Deve ser castigo de alguém lá em cima que acha que eu andava muito maldizente... Isso até nao seria um problema se ele vivesse sozinho. O problema é quando as Mafaldas se reunem. Falam alto, ouvem música do mais comercial "pop bubblegum" com laivos de Madonna (a deusa claro...) e falam alto. Eu tento nao ouvir mas falam alto. Falam muito alto. Gostei especialemente da tirada genial da Mafalda 1 um dia destes sobre a questao do aborto: "mas os homens nao podem ter filhos!". Bravo! Um génio! Parabéns pelo insight.

Vizinho de baixo:
reformado. Fala ao telefone durante todo o dia até por volta das 23h. Consigo ouvir o seu ressonar através das paredes. Suspeito que rouba cartas que chegam para inquilinos que já nao moram aqui. Procurará cheques?

Enfim... nao devo ser o único com neuras por causa desta praga...

6 comentários:

inixion disse...

Exper_i_menta o açucar ;)

nunca se sabe!

gaZpar disse...

Sim. O máximo que pode acontecer é considerarem-me psycho. ;)

Tongzhi disse...

Ao menos desse mal não padeço. O único barulho é do mar, do vento e da chuva a bater nas janelas!
Viva a independência!!!

gaZpar disse...

Quem me dera...

adamantium disse...

Comigo é parecido:
Moram 3 "regougueiras" por baixo de mim, regougam dia e noite... e como regougam. Quando não "regougam", fazem sessões de Karaoke e tocam jambé com outros amiguinhos "regougantes" (e o que eu gosto de karaokes e jambés).
Resta dizer que eu e a minha amiga/companheira de apartamento tentámos por inúmeras vezes chamar-lhes a atenção batendo-lhes à porta de forma suave e conversando de forma civilizada... elas pedem sempre desculpa, mas pedem-nos também para tentarmos entender o seu lado (ainda não conseguimos entender muito bem que lado é esse, mas elas lá vão dizendo que são jovens, estudantes e cheias de vida)
A "regougueira" loira, uma noite confessou-me que pensavam que não estivesse ninguém em nossa casa e que por isso se tinham excedido um pouco mais e prolongado a sessão de Karaoke...é claro que eu como sou mais velho, resolvi dar-lhe um sábio conselho e pedi-lhe então para desistir de pensar. Notei também que a minha voz estava, de forma involuntária, a iniciar uma vertiginosa escalada tonal e as "neuras" que tinha presas na garganta foram saindo (apesar da forma carinhosa como a minha amiga/companheira de apartamento me afagava o braço). Agora, quando me vêem baixam ligeiramente a cabeça... e o regouganço já dura apenas até à 1h da madrugada.

gaZpar disse...

Genial! Obrigado pelo sorriso que me proporcionaste! ;)
Não estou sozinho. Tenho um camarada! eh eh